Fóssil animal mais antigo do mundo, de meio bilhão de anos, é descoberto - Aventuras no Conhecimento

Últimas

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Fóssil animal mais antigo do mundo, de meio bilhão de anos, é descoberto

Dickinsonia viveu nos oceanos há mais de 540 milhões de anos.

A décadas os paleontólogos tem encontrado formas bastante diferentes de fósseis de meio bilhão de anos que não se parecem com nenhum outro organismo que já viveu na Terra. De tão diferentes, não era possível nem mesmo determinar se estes representavam algum tipo de planta, animal ou outra forma de vida.

Agora, vestígios de moléculas de colesterol - uma assinatura da vida animal - de um conjunto de fósseis incrivelmente bem preservados confirmam que uma criatura chamada Dickinsonia, que se parece um pouco com um tapete de banho acolchoado, era na verdade um animal estranho.

As formas de vida que viveram na Terra há meio bilhão de anos deixaram para trás alguns dos mais estranhos fósseis conhecidos. Chamados de  metazoários Ediacaranos eles viveram nos oceanos entre 570 milhões e 541 milhões de anos atrás, pouco antes da explosão cambriana, quando surgiram os primeiros animais reconhecíveis. 

Com quase um metro de comprimento, algumas das 200 espécies descritas de Ediacaranos têm frondes em forma de fractal. Outros, como Dickinsonia, parecem ter módulos cheios de fluido que lhes davam uma aparência “acolchoada”. Teorias sobre o que eles eram abundantes: protistas gigantes? Líquens? Algas? Algum tipo de esponja? Ou alguma outra forma de vida que desapareceu desde então?

Existem algumas pistas. Evidências sugerem que alguns Ediacaranos se mudaram e estudos sobre o modo como pareciam crescer sugeriram que pelo menos algumas das criaturas eram animais, incluindo Dickinsonia. Outros eram provavelmente colônias de bactérias ou algas.