Cientistas comprovam Teoria da Relatividade Geral de Einstein - Aventuras no Conhecimento

Últimas

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Cientistas comprovam Teoria da Relatividade Geral de Einstein


Após 26 anos, pesquisadores do Instituto Max Planck de Física Extraterrestre (MPE) com apoio de diversos centros de pesquisa, conseguiram concluir com sucesso o primeiro teste que comprova a Teoria da Relatividade Geral que Einstein publicou em 1915. WOW !

Para conseguir este feito, os pesquisadores utilizaram o Very Large Telescope do ESO para observar o movimento de uma estrela passando no campo gravitacional extremo existente próximo do buraco negro supermassivo situado no centro da Via Láctea, que situa-se a 26 mil anos-luz de distãncia e possui 4 milhões de vezes a massa solar. 

A estrela em questão, chamada S2, era observada quando passava bem próxima do buraco negro durante Maio de 2018. No ponto da sua órbita mais próximo do buraco negro, a distância desta estrela ao objeto era menor que 20 bilhões de quilômetros e a sua velocidade era maior que 25 milhões de quilômetros por hora — quase 3% da velocidade da luz. Este meio extremo - o campo gravitacional mais forte da nossa Galáxia - é o local ideal para explorar a física gravitacional e, particularmente, testar a Teoria da Relatividade Geral de Einstein.

A equipe comparou medições de posição e velocidade obtidas pelos instrumentos infravermelhos GRAVITY e pelo SINFONI, respectivamente, juntamente com observações anteriores de S2 obtidas com outros instrumentos, com previsões de gravidade newtoniana, relatividade geral e outras teorias de gravidade. Os novos resultados são inconsistentes com as previsões newtonianas mas estão em excelente acordo com a relatividade geral.

As novas medições revelam claramente um efeito chamado desvio para o vermelho gravitacional. A luz emitida pela estrela é “esticada” na direção dos maiores comprimentos de onda por efeito do campo gravitacional muito forte do buraco negro. E a variação do comprimento de onda da luz de S2 está precisamente de acordo com a variação prevista pela Teoria da Relatividade Geral de Einstein. Trata-se da primeira vez que este tipo de desvio às previsões da teoria da gravidade newtoniana é observado no movimento de uma estrela em torno de um buraco negro supermassivo.

Mais de cem anos após a publicação do seu artigo que descreveu as equações da Relatividade Geral, Einstein mostrou estar certo uma vez mais — e num laboratório muito mais extremo do que jamais poderia imaginar!

Espera-se conseguir revelar outro efeito relativístico no final do ano com observações de acompanhamento — uma pequena rotação da órbita da estrela, conhecida por precessão de Schwarzschild — à medida que S2 se afasta do buraco negro.

A nota completa pode ser lida no site oficial do ESO, clicando aqui.