sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Telescópio registra nuvem de poeira capaz de formar planetas

Splitzer registrou erupção de poeira causada pela colisão de dois entre asteroides
Splitzer registrou erupção de poeira causada pela colisão de dois entre asteroides

O telescópio espacial Splitzer da Nasa registrou uma erupção de poeira em volta de uma estrela jovem, possivelmente resultante da colisão entre grandes asteroides. Esse tipo de impacto pode eventualmente levar à formação de planetas.

Cientistas rastreavam a estrela batizada de NGC 2547-ID8, quando surgiu uma enorme quantidade de poeira entre agosto de 2012 e janeiro de 2013. "Nós acreditamos que dois grandes asteroides colidiram um com o outro, criando uma enorme nuvem de grãos semelhantes a areia bem fina, que estão se quebrando em pedaços menores e se afastando lentamente da estrela", disse o principal autor do estudo e estudante de graduação Huan Meng, da Universidade do Arizona (EUA). A pesquisa foi publicada nesta quinta-feira (28) na revista Science.

O Splitzer já tinha observado poeiras oriundas da colisão entre asteroides, mas essa é a primeira que vez que os cientistas conseguem coletar dados antes e depois da colisão. A visualização oferece um vislumbre do violento processo de formação de planetas rochosos como a Terra.

Planetas rochosos iniciam a vida como material de poeira circulando em torno de estrelas jovens. Os aglomerados desse material se juntam para formar asteroides, que crescem de tamanho ao longo do tempo e se transformam em proto-planetas. Depois de cerca de 100 milhões de anos, os objetos evoluem para planetas maduros, terrestres. A lua pode ter surgido justamente da colisão entre a proto-Terra e um objeto do tamanho de Marte.

Fonte: Uol