Primeiros britânicos eram negros de olhos azuis - Aventuras no Conhecimento

Últimas

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Primeiros britânicos eram negros de olhos azuis


O antigo DNA do "Homem Cheddar", um esqueleto mesolítico descoberto em 1903 na caverna de Gough no desfiladeiro de Cheddar, Somerset, ajudou os cientistas do museu a pintar o retrato de um dos mais modernos humanos na Grã-Bretanha.

O Homem Cheddar viveu cerca de 10.000 anos atrás e é o esqueleto mais antigo e quase completo de nossa espécie, o Homo sapiens, já encontrado na Grã-Bretanha. 
Nova pesquisa de DNA extraído do esqueleto ajudou os cientistas a construir um retrato do Homem Cheddar e sua vida na Grã-Bretanha Mesolítica.

O Dr. Tom Booth é um pesquisador pós-doutorado que trabalha em estreita colaboração com a coleção de restos humanos do Museu para investigar a adaptação humana a ambientes em mudança.

"Até recentemente, sempre se supunha que os humanos se adaptaram rapidamente para ter uma pele mais pálida após entrar na Europa há cerca de 45 mil anos", diz Tom. "A pele pálida é melhor para absorver a luz UV e ajuda os seres humanos a evitar a deficiência de vitamina D nos climas com menos luz solar".

No entanto, o Homem Cheddar tem os marcadores genéticos da pigmentação da pele geralmente associados à África subsaariana.
"Ele é apenas uma pessoa, mas também indicativo da população da Europa na época", diz Tom. "Tinham pele escura e a maioria deles tinha olhos coloridos, tanto azul quanto verde, e cabelos castanhos escuros".

Os britânicos de hoje em dia compartilham aproximadamente 10% de sua ascendência genética com a população européia a que o Homem Cheddar pertenceu, mas não são descendentes diretos.

O pensamento atual é que a população mesolítica com a qual o Homem Cheddar pertenceu foi substituída principalmente pelos agricultores que migraram para a Grã-Bretanha mais tarde.