Experiências sugerem que insetos têm sentimentos - Aventuras no Conhecimento

Últimas

terça-feira, 7 de julho de 2015

Experiências sugerem que insetos têm sentimentos

Sim, insetos têm emoção!

Pra quem tem um bichinho de estimação é fácil acreditar que os animais têm sentimentos, mas foi só 2012 que os cientistas concordaram que os animais são seres conscientes. Foi descoberto e comprovado, por exemplo, que os cães são extremamente complexos, e sentem emoções humanas, como a inveja. Mas o que dizer de insetos?

O que é emoção?

Antes de tudo, vamos falar do conceito de emoção. A definição universal para a “emoção”, que é igualmente aplicável em todas as áreas acadêmicas (da neurociência à psicologia à filosofia), tem sido quase impossível de alcançar. Joseph LeDoux, neurocientista, já sugeriu apagar a palavra "emoção" do vocabulário científico.

Embora haja centenas de significados diferentes para a emoção, a definição mais universal que poderíamos encontrar é originária de um artigo chamado “emoção, cognição e comportamento”: "(...) as emoções incluem (mas não estão limitados a) certos comportamentos expressivos que estão associados com estados cerebrais internas que nós, como seres humanos, subjetivamente experimentamos como 'sentimentos'". Muito vago! E ainda limita emoções a seres humanos.

Basicamente, as emoções são detectadas pelos nossos cérebros, por meio de mapas neurais do corpo, e transmitidas para nosso organismo em forma de sentimentos. Isso vale para as emoções primordiais como o desejo sexual, bem como as emoções mais complexas e sociais, como constrangimento.

Experiência com abelhas

Um exemplo fantástico de comportamento emotivo de insetos surgiu de uma experiência com abelhas.
Emoções influenciam nossas percepções e comportamento. Imagine que sua casa foi saqueada por assaltantes e você está em choque e com muita raiva. Você está tão triste que nada te anima, nem seus amigos. Na verdade, nem sua comida favorita parece tão gostosa  assim.

Isso é exatamente o que acontece com as abelhas. As abelhas foram colocadas perto de uma lâmina de ventilador em movimento durante um minuto para simular um ataque de texugo à colmeia e deixar as abelhas com raiva. Depois, foram jogados produtos químicos a fim de acalmá-las, mas a técnica não deu muito certo.
As abelhas que ficaram abaladas com a “invasão” não reagiam aos químicos que simulavam um cheiro apetitoso. Além disso, houve mudanças emocionais relevantes nos níveis de neurotransmissores nas abelhas abaladas e alteração dos níveis de serotonina e dopamina. Isso pode explicar porque mexer em uma colmeia não é uma ideia tão boa assim: isso deixa as abelhas furiosas! E raiva é uma emoção.


Experiência com moscas

Uma experiência semelhante foi realizada com moscas famintas. Desta vez, os pesquisadores tentaram induzir medo primitivo, lançando uma sombra sobre as moscas a fim de simular a presença de um predador aéreo - bem como os seres humanos sentem medo ao ouvir um tiro.
Quando o falso predador foi introduzido e, em seguida, removido, os níveis de ansiedade aumentaram potencialmente nas moscas famintas, que ignoravam completamente seus alimentos. Isso sugere que um estado de emoção afeta o comportamento.

Insetos sentem empatia?

Em um experimento recente com tatus-bola, cientistas mostraram a capacidade de empatia com o semelhante. Os pesquisadores demonstraram um tatu-bola calmo acabava influenciando seus companheiros, os deixando mais calmos e animados.

Mas isso pode ser apenas uma imitação de comportamento, em oposição a um processo de correspondência e reconhecimento emocional. Quando um cachorro late - algo que interpretamos como uma forma de desconforto -, ele faz com que outros cães façam o mesmo. Outro estudo comprovou que esse comportamento dos animais é muito mais próximo de algo como imitação comportamental do que com empatia.

Mas afinal, os insetos têm emoções?

Não se pode afirmar com certeza. Ainda tem muito o que ser estudado, embora essas primeiras experiências certamente definam as bases para um futuro onde nós reconheceremos que todos os animais têm emoções em algum grau. Em 1872, Charles Darwin, pai da teoria da seleção natural e da evolução, já afirmava: "mesmo os insetos expressam raiva, terror, ciúme e amor”.

Fonte: Galileu