Dragões: Mitos ou Verdade? - Aventuras no Conhecimento

Últimas

sábado, 25 de abril de 2015

Dragões: Mitos ou Verdade?


Muito se discute a respeito do que poderia ter dado origem aos mitos sobre dragões em diversos lugares do mundo. Em geral, acredita-se que possam ter surgido da observação pelos povos antigos de fósseis de dinossauros e outras grandes criaturas até então desconhecidas como baleias, crocodilos ou rinocerontes, então, foram tidos por eles como ossos de dragões. 

Apresentado em diversos livros, filmes e animações na história do cinema, citamos aqui a Série Game of Thrones onde a encantadora Daenerys Targaryen é "mãe" de três dragões: Viserion, Rhaegal e Drogon.

Game Of Thrones é uma série de drama medieval que 
estreou em 2011 baseada em livros do autor George R. R. Martin

Os dragões são criaturas presentes na mitologia dos mais diversos povos e civilizações e representados como animais de grandes dimensões, normalmente em aspecto de réptil (semelhantes a imensos lagartos ou serpentes), muitas vezes com asas, plumas, poderes mágicos ou hálito de fogo. 

Por terem formas relativamente grandes, geralmente, é comum que estas criaturas apareçam como adversários mitológicos de heróis lendários ou deuses em grandes épicos que eram contados pelos povos antigos, e também sejam responsáveis por tarefas como a sustentação do mundo e o controle de fenômenos climáticos. 

As mais antigas representações mitológicas de criaturas consideradas como dragões são datadas de aproximadamente 40.000 a. C. em pinturas rupestres de aborígines pré-históricos na Austrália, mas além dessa tradição Mística, existem também dragões no mundo real.

O dragão-de-komodo é o dragão mais famoso na vida real

O dragão-de-komodo (Varanus komodoensis), é um grande lagarto que pode chegar ao tamanho de um crocodilo, é carnívoro e carniceiro, encontrado na ilha de Komodo, no arquipélago da Indonésia. 

Acabou se tornando o mais famoso dragão vivente do mundo real. É a maior espécie de lagarto que existe e já vivia na face da terra muito tempo antes da existência do homem. 

Possui em sua saliva bactérias mortais que tornam inútil a fuga de uma presa após levar uma mordida, pois sobrevém uma infecção rápida e letal que a mata em alguns dias.

Por Carla Reis
Bióloga, professora e administradora do site
aventurasnoconhecimento@hotmail.com