Este curta retrata de um jeito incrível o futuro da colonização humana do Sistema Solar - Aventuras no Conhecimento

Últimas

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Este curta retrata de um jeito incrível o futuro da colonização humana do Sistema Solar

Concepção artística de uma nave carregando passageiros que fundarão uma colônia (Foto: Reprodução)
Concepção artística de uma nave carregando passageiros que fundarão uma colônia

Colônias humanas em Marte, em asteroides, nas luas Europa (de Júpiter) e Jápeto (de Saturno), naves partindo - talvez para sempre - da Terra com colonizadores: imagens estimulantes como estas, e muitas outras, é o que encontramos no curta Wanderers, do artista digital suecoErik Wernquist. Todo o primoroso trabalho de arte espacial é exibido em sincronia com a retórica inspirada de Carl Sagan - o vídeo conta com um áudio do astrônomo lendo um trecho de seu livro Pale Blue Dot.

Humanos apreciando o pôr do sol alienígena e azulado de Marte (Foto: Reprodução)
Humanos apreciando o pôr do sol alienígena e azulado de Marte

Só para aguçar sua curiosidade, vale a tradução do belíssimo trecho da leitura de Sagan usado na abertura do vídeo: "Apesar de todas as vantagens, a vida sedentária nos tornou irritadiços, insatisfeitos. Mesmo depois de 400 gerações em cidades e vilas, nós não nos esquecemos. A estrada aberta continua chamando baixinho, como uma canção da infância quase esquecida." O astrônomo, talvez o maior de todos os entusiastas da exploração espacial, se refere ao ímpeto humano de enfrentar de peito aberto o desconhecido e expandir suas fronteiras e horizontes - e qual seria a "fronteira final" senão o espaço?

Colônia em Jápeto, lua de Saturno (Foto: Reprodução)
Colônia em Jápeto, lua de Saturno

O nome "Wanderers", que traduzido significa algo como "errantes" ou "viajantes", tem significado duplo. Ao mesmo tempo em que remete à definição de "estrela errante" que os gregos da antiguidade atribuíam aos planetas, também faz referência a nós mesmos, que viajamos errantes pela superfície terrestre ao longo de centenas de milhares de anos. "Em tempo, espero que saltemos do chão e nos tornemos permanentemente viajantes dos céus", diz Wernquist.

Confira o curta legendado!


Fonte: Galileu