Arqueólogos encontram esqueleto com "megahair" intacto no Egito - Aventuras no Conhecimento

Últimas

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Arqueólogos encontram esqueleto com "megahair" intacto no Egito

Crânios com extensões capilares intactas foram achado em cemitério de cidade antiga
Crânios com extensões capilares intactas foram achado em cemitério de cidade antiga

O esqueleto de uma mulher egípcia que viveu há mais 3.300 anos está intrigando cientistas por um detalhe curioso: o penteado extravagante.
A egípcia foi enterrada com um penteado feito com 70 extensões de cabelo -- no melhor estilo "megahair" --, presas em camadas diferentes. O esqueleto foi encontrado em Amarna, cidade construída para ser a nova capital do Egito pelo então faraó Akhenaton, que reinou entre 1353 e 1335 a.C., mas que foi abandonada após sua morte.

A descoberta deixou a arqueóloga Jolanda Bos e sua equipe curiosos em relação aos costumes egípcios da época. Apesar de apresentar cabelos bem conservados, o esqueleto não foi o único a conter detalhes intrincados na cabeleira, como relatado em artigo publicado no Journal of Egyptian Archaeology.
"Um dos nossos principais questionamentos é se a mulher tinha esse estilo de cabelo ou se ele foi feito apenas para o seu enterro", disse a pesquisadora à Live Science. Ela afirma que o mais provável é que as mulheres usassem esse tipo de extensão capilar em sua vida cotidiana.

A arqueóloga analisou 100 crânios recentemente escavados do cemitério de Amarna. Desse total, 28 ainda tinham cabelo. Jolanda analisou diversos esqueletos e descobriu que um deles tinha extensões feitas de cabelo preto e cinza escuro, sugerindo que várias pessoas doaram seu cabelo para criar o penteado.
Os cientistas perceberam também que as pessoas que viviam na cidade possuíam uma grande variedade de tipos de cabelo. "Eles vão de cabelo preto crespo a marrom liso, o que pode refletir um grau de variação étnica", afirma a pesquisadora.

Em um dos casos, uma mulher apresentou uma tonalidade laranja sobre o cabelo grisalho, indicando que aparentemente a mulher tingia os fios, possivelmente com hena. "Ainda não estamos completamente certos do tipo de coloração que foi usada no cabelo, mas parece hena em uma avaliação macroscópica", diz.

Fonte: UOL