terça-feira, 26 de agosto de 2014

Cientistas tentam entender como lagartos regeneram suas caudas

Rabos que se regeneram e os seres humanos (Foto: Reprodução)
Entender como a genética permite que estes animais regenerem partes de seus corpos é muito importante para a evolução da medicina em seres humanos

Publicada no periódico Plos One, uma nova pesquisa realizada pela Arizona State University pode ter descoberto como utilizar a “receita” da regeneração dos lagartos na recuperação da perda de membros em seres humanos.  
Um grupo de cientistas foi capaz de encontrar analisar precisamente os genes acionados durante a recuperação da cauda desses animais. Com isso, chegaram à conclusão de que as “ferramentas” genéticas do lagarto e do ser humano são muito parecidas.

Em declaração, o autor Kenro Kusumi disse: “Lagartos são os animais que conseguem regenerar partes do corpo mais próximos dos humanos. No estudo, descobrimos que eles são capazes de ativar pelo menos 326 genes em diferentes áreas do corpo durante o processo de recomposição do rabo. Isso inclui genes dos embriões, dos sinais hormonais e da recuperação de feridas”.
Para a integrante da equipe da pesquisa Elizabeth Hutchins, “regeneração não é um processo instantâneo, prova disso são os 60 dias que um lagarto necessita para recompor sua cauda de maneira completa”. Completando essa ideia, a coautora do estudo Jeanne Wilson-Rawls diz: “Nós conseguimos identificar exatamente qual tipo de célula é importante para a regeneração dos lagartos”.

Ao reconhecerem quais são os genes e células necessários para o crescimento de um novo rabo, ficará mais fácil aplicar isso nos seres humanos. “Ao desvendarmos o mistério das células necessárias para o crescimento de novos tecidos, conseguiremos saber qual “receita” seguir para recriar cartilagem, músculos e medula espinhal na vida humana”, finaliza Kenro Kasumi.

Fonte: Galileu