Google+

sexta-feira, 17 de março de 2017

Quer ter uma supermemória? Saiba como


Muitas vezes nos esquecemos de coisas simples no dia-a-dia: de onde deixamos determinado objeto, respostas para aquela pergunta tão estudada para a prova... Porém, a ciência diz ter encontrado uma "solução" para que você tenha uma supermemória.

Um estudo publicado no periódico científico Neuron, feito por cientistas da Universidade Radboud da Holanda, indica que uma técnica simples utilizada também na antiguidade por oradores gregos e romanos, chamada de Palácio da Memória, pode fazer com que você tenha uma supermemória, podendo até dobrar sua capacidade de guardar e resgatar lembranças.

Para isso, você deve treinar, isso mesmo, TREINAR! Assim como fazemos para manter nosso corpo bem preparado com muito treino, nossa memória também precisa de exercícios para se manter "em forma". Parece óbvio, mas muitos pensam que ter supermemória é algo para poucos e este estudo comprova que VOCÊ poderá chegar a um bom desempenho como os de campeões de memorização pelo mundo.

Para chegar nesta conclusão, os cientistas analisaram o cérebro de 23 campeões de memória, como Boris Konrad, um dos autores do estudo, que é capaz de memorizar cerca de 100 palavras em cinco minutos ou até mesmo 500 dígitos. Além destes, foram considerados outros 23 voluntários que possuíam saúde e idade parecidas com estes experts, mas que não eram bons em memorização.


De imediato, os cientistas verificaram que não havia diferença anatômica alguma entre os cérebros destas 46 pessoas, porém havia diferença nos padrões de conectividade cerebral bem mais numerosa nos "campeões".

Após esta conclusão, os cientistas submeteram 51 voluntários, que nunca tiveram contato com nenhuma técnica de memorização, a exercícios de memória chamado Método loci ou Palácio da Memória, que era bastante utilizado por oradores gregos e romanos para memorizar seus discursos. O exercício consiste em fazer uma jornada imaginária por um local conhecido e relacionar alguns pontos da rota às informações que devem ser armazenadas. Os indivíduos tiveram as conexões cerebrais analisadas antes e depois da utilização das técnicas.

Antes do treinamento, sessões de trinta minutos diários durante quarenta dias, os voluntários conseguiram recordar entre 26 e trinta palavras de uma lista – depois, conseguiam recordar em torno de 65 palavras. Um dia após o treinamento, os indivíduos ainda eram capazes de se lembrar de 22 palavras a mais que antes da utilização da técnica. Segundo as análises de ressonância magnética, o cérebro de quem participou do treinamento mudava, exibindo padrões de conexões muito parecidos aos dos “campeões de memória”.

De acordo com os pesquisadores, o estudo demonstra que todos possuem “áreas cerebrais” que podem ser exploradas e expandidas, melhorando a memória e as conexões da mente.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...