Google+

segunda-feira, 11 de junho de 2012

DICA DE LIVRO: Richard Dawkins contrapõe figuras míticas com ciência em novo livro "A Magia da Realidade"


OS BICHOS REAIS: Em A Magia da Realidade (Companhia das Letras, R$54), Dawkins contrapõe figuras míticas da fé com a ciência dos seres microscópicos
 
Em A Magia da Realidade, novo livro do zoólogo e evolucionista britânico Richard Dawkins, muitas dúvidas cabeludas sobre o Universo são levantadas. Quem foi a primeira pessoa? O que é a luz? E um milagre? Existe vida em outros planetas? Sempre com base em análises científicas, a explicação didática, ainda que para admitir que a questão é impossível, surge em detalhes.

Para ampliar o efeito de deslumbramento das descobertas, cada capítulo começa com a narrativa de um mito. Ao explicar o que é o Sol, por exemplo, Dawkins conta como as civilizações de variadas partes do mundo adoravam a estrela — sem considerar que era uma, claro — e como muitas delas atribuíam figuras divinas ao astro. Em seguida, por meio de exemplos e escalas, explica sobre a vida dos corpos celestes, calcula seus tamanhos e mostra como mantêm suas temperaturas.

A única passagem em que não há mitos é a que fala dos ácaros (ilustração acima). É também quando Dawkins deixa transparecer sua convicção ateísta. Diz que não há mitologia sobre coisas microscópicas pelo único fato de que os povoados antigos não tinham ferramentas para vê-los. “Se os povos primitivos soubessem da existência dos ácaros, você já pode imaginar os mitos e lendas que poderiam inventar para explicá-los!” E no fim do capítulo, cutuca: “Se esses mitos fossem escritos, ditados ou inspirados por deuses que tudo sabem, você não acha estranho que não digam nada a respeito de coisas tão importantes e úteis como os germes, a gravidade ou o motor de combustão interna?”.

Entre tantas questões que o livro proporciona, se fosse para eleger a melhor, a vencedora seria por certo uma que não está escrita: como durante o período escolar essas histórias não pareceram tão fascinantes? A resposta aqui é mais fácil do que as demais: por causa da técnica de Dawkins. O britânico, numa prosa limpa, fala sobre átomos e comprimentos de onda como quem conta lances de um jogo de futebol. Uma lição de ciência.

As ilustrações do inglês Dave McKean, famoso pelas ilustrações da HQ Sandman, mantêm o clima de "magia no laboratório". Para ter na estante.



TRECHO — DAWKINS RESPONDE: QUEM FOI A PRIMEIRA PESSOA?
“(...) Tudo é gradual. Você é Homo sapiens e seu 50 milésimo avô foi Homo erectus. Mas nunca houve uma Homo erectus que subitamente gerasse um bebê Homo sapiens. Assim, a questão de quem foi a primeira pessoa e quando ela viveu não tem uma resposta precisa. É uma coisa vaga como a resposta à pergunta “Quando você deixou de ser bebê e se tornou uma criança pequena?”. Em algum ponto, provavelmente há menos de 1 milhão de anos porém há mais de 100 mil anos, nosso ancestrais diferiam de nós o bastante para impossibilitar que uma pessoa dos dias de hoje tivesse filhos com eles caso pudesse se encontrar. (...) Se devemos considerar o Homo erectus uma pessoa é uma questão semântica, ou seja, de como escolhemos usar as palavras”

Fonte: Galileu
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...