Google+

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Alguns contos de fadas já eram contados a mais de 6 mil anos


Quando falarmos da origem dos mais famosos contos de fadas ocidentais, os Irmãos Grimm (Séc. 19) tem o maior crédito. Alguns estudiosos acreditam que os Grimm foram realmente responsáveis por criar os contos mais famosos que conhecemos (Chapeuzinho-vermelho, Cinderela, Branca de Neve e outros), mas acadêmicos não sabiam quantos anos realmente teriam muitas dessas histórias. Um novo estudo, que trata estas fábulas como uma espécie de "evolução", descobriu que alguns desses contos podem ter sido escritos a mais de 6.000 anos.

A base para o novo estudo, publicado na Royal Society Open Science, é um repositório on-line massivo de mais de 2.000 contos distintos de diferentes culturas indo-europeias conhecidas como “Aarne–Thopsonm–Uther Index”, que foi compilado em 2004. Embora nem todos os pesquisadores concordem sobre os detalhes, todas as culturas indo-europeias modernas (englobando toda a Europa e grande parte da Ásia) descendem dos povos indo-europeus que viveram durante o Período Neolítico (10.200 aC-2000 aC) na Europa Oriental. Grande parte da linguagem moderna do mundo teria evoluído a partir deles.


Para conduzir o estudo, Jamshid Tehrani, um antropólogo da Universidade de Durham do Reino Unido, e colegas examinaram o repositório. Eles limitaram a sua análise aos contos que continham elementos mágicos e sobrenaturais, porque esta categoria continha quase todos os contos famosos que as pessoas estão familiarizadas. Isso reduziu o tamanho da amostra a 275 histórias, incluindo clássicos como Hansel e Gretel (João e Maria) e A Bela e a Fera.

Mas traçar estes contos de volta no tempo não é tarefa fácil. Há registros históricos escassos, e muitas das fábulas começaram com histórias narradas que não tinham versões escritas. Assim, os investigadores usaram métodos estatísticos semelhantes aos utilizados pelos biólogos para rastrear as linhagens de espécies através da árvore ramificada da evolução com base apenas nas sequências de DNA modernas.

Aqui está como funcionava: Os contos de fadas são transmitidos através da linguagem, e as ramificações da árvore indo-europeia são bem definidas, desta forma, os cientistas poderiam traçar a história de um conto de volta até a sua origem e, assim, voltar no tempo. Se ambas as línguas eslavas e línguas celtas tinham uma versão de Jack and the Beanstalk (João e o pé de feijão), por exemplo, as chances são de que a história pode ser rastreada até o seu "último ancestral comum." Com isso é possível demonstrar que a origem deste conto pode ser indo-europeia e que ela se dividiu a pelo menos 6.800 anos atrás aos diferentes povos. A abordagem se assemelha ao modo como um biólogo evolucionário poderia concluir que duas espécies vieram de um ancestral comum, se os seus genes contêm a mesma mutação não encontradas em outros animais modernos.

Mas não é tão simples. Ao contrário de genes, que são quase exclusivamente transmitidas "verticalmente" – de pai para filho - , contos de fadas também podem ser transmitidas, porém horizontalmente, quando uma cultura se mistura com outra. Assim, grande parte do estudo dos autores se concentra na separação e reconhecimento de contos que parecem ter se espalhado de forma horizontal. Quando a separação foi feita, a equipe ficou com um total de 76 contos de fadas.

Esta abordagem permitiu aos pesquisadores traçar certos contos, tais como The Smith and the devil (O Ferreiro e o Diabo), que conta a história de um ferreiro que faz um pacto com o diabo em troca de proezas inigualáveis, de volta milhares de anos, temos a origem indo-europeia para este conto. Se a análise estiver correta, isso significaria os contos de fadas mais antigos ainda em circulação hoje em dia possuem entre 2.500 a 6.000 anos de idade. Outras histórias parecem ser muito mais novas, aparecendo pela primeira vez em ramos mais modernos da “árvore da linguagem”.


Interessante compreender a origem dos Contos de Fadas, não é? Tenho certeza que muitos já leram, assistiram ou ouviram alguns destes contos fantásticos contados e escritos há tantos anos, ou melhor, milhares de anos, e que fizeram parte da nossa história e imaginação.

Adriano Reis
Biólogo
Fonte: ScienceMag
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...