Google+

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Até 2050 haverá 30% menos ursos polares


A população de ursos polares, ameaçados pelo aquecimento global por causa do derretimento da calota de gelo do Ártico, vai diminuir em mais de 30% ao longo dos próximos 35 ou 40 anos - alertou nesta quinta-feira a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).

Especialistas estimam que existam entre 22.000 e 31.000 ursos polares do mundo (Estados Unidos, Canadá, Noruega, Groenlândia e Rússia), de acordo com a IUCN, que atualiza regularmente seus relatórios sobre a flora e fauna ameaçadas do mundo.
De acordo com a organização, estudos mostram que "há uma forte probabilidade de que uma redução de mais de 30% da população de ursos polares nos próximos 35-40 anos está registrado" pela perda de habitat devido ao aquecimento climático, a maior ameaça para a sobrevivência desta espécie.

De acordo com a IUCN, estudos recentes mostram que o derretimento da calota de gelo do Ártico, e também em ilhas e ilhotas, ocorre mais rápido do que as previsões da maioria dos modelos climáticos.
Além disso, os ursos polares dependem das áreas geladas para acessar suas presas. Um período de cinco meses ou mais sem gelo poderia causar um jejum prolongado para a espécie - o que poderia levar a infertilidade ou aumento da fome em algumas regiões.

De acordo com estimativas recentes, vastas áreas do arquipélago ártico canadense não terão gelo durante mais de cinco meses por ano até o final do século. Em outras partes do Ártico, este limiar de cinco meses poderá ser alcançado em meados deste século.
O aumento das temperaturas na região também pode afetar os habitats e aumentar a incidência de doenças em espécies que são presas habituais dos ursos polares, como as focas, o que agrava os riscos para eles.

"Os efeitos das mudanças climáticas vão além desta espécie emblemática e ameaçam nosso planeta como nunca antes no passado", disse a diretora-geral da IUCN, Inger Andersen, em comunicado.
Além do degelo, a poluição, a prospecção de recursos e mudanças em habitats devido às atividades humanas também representam ameaças potenciais. A exploração de petróleo no Ártico, por exemplo, faz com que muitos perigos se apresentem na região, como as marés negras.

A Lista Vermelha da IUCN inclui agora 79.837 espécies como registadas, das quais 23.250 estão ameaçadas de extinção. Os ursos polares são considerados como "vulneráveis".

Fonte: UOL
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...