Google+

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Micróbio assassino

 (Foto: Divulgação)

Durante anos, cientistas discutiram o que causou a extinção de 90% das espécies da Terra há 251 milhões de anos. As suspeitas eram de uma erupção vulcânica, o impacto de um cometa ou um incêndio em reservas de carvão. Um estudo do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e da Academia Chinesa de Ciência indica, porém, que o que matou os animais e organismos foi um micróbio chamado Methanosarcina.

O Methanosarcina vive no fundo do oceano, tem uma dieta à base de níquel e libera metano na atmosfera, o que pode ter modificado o clima e a química da água. A primeira pista de que o micróbio estaria envolvido na extinção do Permiano-Triássico apareceu quando o geofísico Dan Rothman observou o aumento dos níveis de carbono durante o período.

“O crescimento é parecido com o que você encontra num gráfico sobre as bolhas dos mercados imobiliário e financeiro”, diz Rothman. “Se o dióxido de carbono viesse da queima de carvão não seria assim.”

Fonte: Galileu
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...